terça-feira, 30 de junho de 2009

Pina Bausch


Morreu, aos 68 anos, a coreógrafa alemã Pina Bausch.
Cinco dias após lhe ter sido diagnosticado um cancro.
Com assiduidade era convidada a fazer digressões por todo o globo e a sua companhia de dança, Tanztheater, ficou reconhecida como uma das maiores e melhores do mundo.
Participou, ainda, nos filmes O Navio (Fellini) e Habla con ella (Almodóvar).
Foi a vencedora do prémio Goethe (prémio literário com atribuição trienal) no ano transacto.

sábado, 27 de junho de 2009

Actor de St. Vicent

Annie Clark, vulgo St. Vicent, compôs 11 canções disfuncionais. O resultado é Actor, o seu segundo trabalho.

domingo, 21 de junho de 2009

Novo disco de Rodrigo Leão


Com esta mensagem sobre o novo disco de Rodrigo Leão, A Mãe, fica completa a quadratura dos músicos masculinos que mais me dizem, actualmente, na música portuguesa.
Rodrigo Leão é o mais velho dos quatro e o mais reconhecido internacionalmente.
Prova da sua internacionalização é a colaboração com músicos pop (e não só)internacionais, dos quais, vários, fazem parte da minha preferência musical: Beth Gibbons (em trabalho anterior) e no novo Neil Hannon (ex- Divine Comedy) e Stuart A. Staples (Tindersticks).
Merecedores de referência são também os membros da banda Cinema Ensemble, já habituais compagnons de route de Rodrigo.
O músico define a sua música como abstracta e cinematográfica. Assim seja!
Aos primeiros acordes que ouvi do tema Vida tão Estranha , foi imediata a minha rendição.
Os fans são assim, tornam-se, irremediavelmente, acríticos...

sábado, 20 de junho de 2009

Mel KadeL







É desta artista a imagem do meu blogue.
Mel Kadel nasceu na Pensilvânia, há 35 anos.
Fez os seus estudos na Escola de Artes de Filadélfia e, depois de várias itinerâncias, instalou-se em Los Angeles.
É agora representada pela Galeria Richard Heller, mas, no início da sua carreira, na cidade dos anjos, mostrou o seu trabalho em pequenos cafés e galerias, assim como colaborou em trabalhos de alguns músicos como Beck, por exemplo.
Os seu desenhos são realizados em papel antigo e recorre, entre outras técnicas, a colagens.
Os seus trabalhos fazem-me lembrar os medos da infância e as patologias inerentes a uma sociedade cada vez mais individualista, que, por vezes, nos tornam em adultos mais isolados e centrados nos nossos receios, fobias e lutas pessoais.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Carta branca para Camané


Hoje e amanhã, no Grande Auditório do CCB, Camané e convidados (Mário Laginha e a Orquestra Metropolitana de Lisboa) reinterpretam temas do último trabalho do fadista, Sempre de Mim, e outros mais antigos. Sempre pelas 21 horas.
Quando questionado sobre se os concertos seriam registados para futuro cd, o artista confessou não saber e preferir continuar sem o saber até à realização dos mesmos.
É conhecida a timidez de Camané, proporcional ao seu talento.
Eu gostaria de ver registado este momento de junção entre Camané e Mário Laginha.





domingo, 14 de junho de 2009

Palavras para lembrar todos os dias


Cara e voz de menina, mas não é a típica cantora teenager.
Autora desta letra, revela uma precoce maturidade.

Vanguart
Ah, se eu fizesse tudo que eu sonho,
Se eu não fosse assim tão tristonho,
Não seria assim tão normal.

Ah, se eu fizesse o que eu sempre quis,
Se eu fosse um pouco mais feliz,
Levantasse o meu astral...

7 dias vão e, eu nem fui ver.
7 dias tão fáceis de se envolver.

Ah, se eu tivesse fotografado,
Se eu tivesse me integrado,
Ao mundo sobrenatural.

Aaaah, eu seguiria o realejo.
Desenharia o que eu vejo,
No meu cereal.

30 dias do mês que ficou pra trás...
E eu sou só mais um desses meros tão mortais.

Mas, Ah, se eu fizesse alguma diferença,
Se eu curasse alguma doença,
Com uma força genial...

Ah, Ah, Ah, Oh, Ah, eu cantaria pra fazer sorriso,
Eu perderia o meu juízo,
Só pra ser especial.

30 dias vão, não! eu não fui ver.
São 7 dias tão fáceis de se envolver.

30 dias do mês que ficou pra trás...
Mas eu sou só mais um desses meros tão mortais.

Mas ah, se eu fizesse alguma diferença,
Se eu curasse alguma doença,
com uma força genial.

Aaaah, eu cantaria pra fazer sorriso,
Eu perderia o meu juízo,
Só pra ser especial.




sábado, 13 de junho de 2009

Feira Medieval de Coimbra







A Feira Medieval de Coimbra está a decorrer hoje entre as 09.15 e as 19.00 horas, no Largo da Sé Velha.
Na sua 18ª edição, existem vários motivos para recuar no tempo: mendigos, acrobatas, vendedores, artesãos, petiscos e música, representada por sete grupos.
Por ser o segundo sábado do mês, decorre, um pouco mais abaixo, o Mercado do Quebra-Costas.
Também este evento já conquistou público.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

O terceiro dos Nouvelle Vague


É já segunda feira que é lançado o novo álbum dos Nouvelle Vague, simplesmente intitulado III.
Das novidades, destacam-se a participação dos cantores originais em algumas das covers (Ian McCulloch ou Martin Gore, por exemplo) e músicas com novas sonoridades como o country e bluegrass (sons inspirados na música tradicional das ilhas britânicas, no jazz e no blues) a adicionar aos sons já característicos da banda como a bossa nova ou o reggae.
Vários projectos têm surgido dos membros deste grupo: Hollywood, Mon Amour (Marc Collin), Weather´s Coming (Phoebe Killdeer) e, a lançar em Setembro, My Name de Melanie Pain.
Apesar de apreciar todos esses projectos, destaco o cd de Phoebe Killdeer pela sonoridade mais distante dos originais Nouvelle Vague.
Fica, aqui, uma das minhas faixas preferidas.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Foge Foge Bandido


No passado dia 9, Manel Cruz apresentou, pela primeira vez, em Lisboa (Cinema S. Jorge)o seu projecto a solo Foge Foge Bandido e o respectivo trabalho: O Amor Dá-me Tesão/Não Fui Eu Que Estraguei. Lançado no ano passado, chegou, finalmente, em forma de concerto às duas principais cidades do País.
Depois de Lisboa, sábado é a vez do Porto receber o artista, no Teatro Sá da Bandeira, a partir das 22 horas (como gostaria de lá estar!).
Rezam as críticas ao concerto na capital que o S. Jorge estava esgotado (prevejo o mesmo cenário na invicta) e vibrou ao longo de perto duas horas com os temas do excelente trabalho do Foge Foge Bandido.
Manel Cruz, avesso às escolhas mais óbvias (vide como comercializou este cd/livro), não apresentou o tema Borboleta.
Deixo, aqui, esse tema que me faz discípula acérrima do Karaoke, cada vez que visiono o vídeo.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Os artistas plásticos mais importantes do século xx






Na edição online do jornal The Times, de ontem, foi divulgada a lista dos 200 artistas mais importantes do século XX. Resultante da votação, que durou 16 semanas, os lugares do pódio foram ocupados por Pablo Picasso (1º), Paul Cézanne (2º) e Gustav Klimt (3º).
De destacar, também, o 142º lugar da artista portuguesa Paula Rego. É, aliás, o único nome nacional a constar desta lista.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

domingo, 7 de junho de 2009

Ante estreias

Em cidades como Coimbra, que cada vez parece ser merecedora de ser rotulada de provinciana, pelo menos a nível de cinema, a silly season parece estar já instalada.
Fica a antevisão de três filmes que, brevemente (falta saber quando), estarão nas salas de cinema.
Inimigos Públicos de Michael Mann, com o fabuloso Johnny Depp, estreia a 6 de Agosto, em Portugal.
O novo de Almodóvar, Los Abrazos rotos, protagonizado por Penélope Cruz, conta a história de um amor louco.
E o vencedor da Palma de Ouro 2009, o novo de Michael Haneke (realizador do A Pianista).
Até que os possamos ver nos ecrãs de cinema, let`s look at the trailer...